Brinquedo - Segurança

Ana Lúcia Vidal – Morumbi/SP

Como comprar um brinquedo seguro e de qualidade para meu filho?

Prezada Ana

Pergunta oportuna para todos aqueles que se preocupam com a saúde de seus filhos.

Depois de ler as dicas veja o vídeo acima.

No ano de 1994, quando Secretário Executivo do Procon Estadual do Espírito Santo, lançamos a campanha: “Brinquedo não é brincadeira.” Ela surgiu de uma denúncia de uma mãe que teve seu filho internado por intoxicação de metal pesado: chumbo! O brinquedo à época era um pequeno dinossauro. Enviamos o material para análise. O resultado foi mais assustador. Além do excesso de chumbo na tinta, o aparente e inofensivo dinossauro, continha lixo hospitalar.

Portanto, prezada Ana, escolher e comprar brinquedo é coisa de gente grande! Observe na embalagem a indicação da faixa etária.

Alguns brinquedos não são recomendados para crianças pequenas por conterem peças cortantes, pontiagudas, tóxicas ou que possam ser engolidas. As instruções de uso e a recomendação da faixa etária devem estar em português, mesmo para os brinquedos importados.

Você fica sabendo que o produto é certificado pela presença do "Símbolo de Identificação do Sistema Brasileiro de Certificação" colocado no produto ou na sua embalagem, que poderá estar acompanhado do nome ou marca do Organismo de Certificação de Produto (OCP) credenciado pelo INMETRO. O selo do Inmetro, obrigatório em qualquer brinquedo comercializado no Brasil, só é concedido se o brinquedo for aprovado em todos os ensaios aos quais for submetido. No selo devem constar a marca do Inmetro, a marca do organismo acreditador e o foco da certificação que, no caso de brinquedo, é saúde e segurança. O selo pode vir diretamente impresso, em etiqueta auto-adesiva indelével na embalagem ou afixada ao próprio produto em etiquetas de pano, como no caso de pelúcias. Nos produtos que contém brinquedos como brindes, devem existir informações sobre sua certificação impressas na embalagem do produto.

Caso encontre produtos sem o selo no mercado formal, denunciar à Ouvidoria do Inmetro (0800 285-1818).

Não esquecendo que o Código de Defesa do Consumidor prevê que quem foi exposto a riscos tem direito a indenização.

Dúvida: contato@linhadiretadoconsumidor.com